quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Vergonha nacional

Passa muito além da hipocrisia a afirmativa reiterada pelo diretório nacional do Partido dos Trabalhadores, de que “todas as doações recebidas pelo PT aconteceram estritamente dentro da legalidade e foram posteriormente declaradas à Justiça Eleitoral”. Tal farsa tornou-se insustentável depois das investigações do Ministério Público (MP) e da Polícia federal (PF). Hoje ela só tem a serventia de fazer crer que o PT continua a menosprezar da inteligência da nação, por julgar que todos os brasileiros são ignorantes.
A Operação Lava-Jato, entretanto, vem demonstrando o contrário. Particularizando apenas os prejuízos acarretados à Petrobras, o montante da roubalheira institucionalizada na estatal pode ultrapassar a R$ 42,0 bilhões. Os prejuízos enormes pela aquisição escandalosa da refinaria de Pasadena, quando a presidente Dilma Rousseff (PT-RS) presidia o Conselho de Administração, chegam a ser pequenos quando comparados com o que o PT e seus apaniguados fizeram com a Companhia.
As investigações do MP e da PF, em consonância com as delações premiadas, têm demonstrado que o Brasil está sendo saqueado desde que o PT se instalou em Brasília, há 13 anos. E para agravar ainda mais a situação, o governo petista promoveu a inépcia, aparelhando o Estado e as empresas públicas e autarquias, por seu viés ideológico. Assim, oficializou a gastança e a roubalheira, sem o mínimo pudor e apreço aos princípios da eficiência e da meritocracia.  
Os governos do ex-presidente Lula da Silva (PT-SP) e da presidente Dilma Rousseff também não tiveram escrúpulo em financiar com dinheiro público os chamados “movimentos sociais”, tais como o Movimento dos Sem Terra (MST), o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o Via Campesina, a União Nacional dos Estudantes (UNE), entre outros institutos e centrais sindicais, que têm em seus quadros quase que exclusivamente ativistas. Poucos são realmente trabalhadores e estudantes.
Outro ponto lesivo ao patrimônio público dos brasileiros são os empréstimos realizados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os beneficiários internos sempre foram, invariavelmente, as empresas e empresários amigos. Alguns deles ora amargam o gosto da cadeia, tal como José Carlos Bumlai, o “amigo de fé e irmão camarada” do ex-presidente Lula da Silva. Os externos, os países alinhados ao ideário petista, tais como Cuba, Venezuela, Equador, Bolívia, Angola, Guiné, etc...
O governo e os partidos aliados nunca se mostraram dispostos a difundir a verdade. Não por outra razão a culpa pela crise é atribuída por esses partidos à política econômica, não às causas que levaram o Brasil a atual situação, inclusive ao rebaixamento pelas principais agências de classificação de risco. Para eles, no entanto, toda essa crise aparenta apenas uma situação normal, como se o País vivesse às mil maravilhas.  A sensação que fica é de que esse grupo não pensa no País, pois a pretensão agora é explicitamente a de não largar o osso.

O blog se despede neste ano desejando a todos os leitores um Natal cheio de luz e uma Ano Novo com muito sucesso e realizações. Um forte e caloroso abraço a todos!