quinta-feira, 16 de julho de 2015

Brasil às avessas, saqueado...

Insatisfeito com a popularidade em baixa, o ex-presidente Lula da Silva (PT-SP) anda clamando por todos os lugares por onde passa pela reação do governo contra a operação Lava-Jato e o ajuste fiscal. Esta semana, em reunião política no Palácio do Planalto, o ex-presidente foi direto ao ponto com a presidente Dilma Rousseff, repetindo que ela deve “ir para a rua, conversar com o povo, divulgar os seus programas. Não pode ficar só nessa agenda de Lava-Jato e ajuste fiscal”.
Mais uma vez, o ex-presidente Lula da Silva dá claros sinais de que a sua maior preocupação no momento é que a candidatura à presidência da República, em 2018, possa ser inviabilizada, pelo fracasso dos governos petistas. Portanto, para o ex-presidente, o problema maior não é a situação em que o Brasil se encontra, depois de 12 anos do PT no governo, nem a solução para os nossos problemas, mas a sua própria situação política, como a de seu partido, o PT, o que é lamentável.
O Lamborghini, o Ferrari e o Porsche apreendidos pela Polícia Federal (PF) esta semana na “Casa da Dinda”, de propriedade do senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL), é a síntese da roubalheira instalada em Brasília. O senador Collor de Mello tem sido um dos fiéis escudeiros dos governos petistas, em conjunto com as oligarquias mais conservadoras do nordeste, justamente a região onde encontramos os piores indicadores de desenvolvimento humano do Brasil.
Já não dá mais para esconder o percurso do dinheiro subtraído da Petrobras. Dessa pequena parte do que se conhece da roubalheira, sabe-se agora, pelo brilhante trabalho realizado pela PF, que além de abastecer as campanhas políticas, o dinheiro sujo também abastecia as falsas empresas de consultorias e os corruptos. Não é à toa que ex-ministro José Dirceu, chamado pelos petistas de “guerreiro do povo brasileiro”, esteja à caça de um Habeas - corpus para não voltar para a cadeia.
No entanto, em troca de passar o Brasil a limpo em favor de um projeto político de Estado, em benefício de todos os brasileiros, o ex-presidente Lula da Silva prefere jogar a sujeira para debaixo do tapete, a fim de salvar a própria pele e não largar o osso. Quiçá vejamos em breve o dinheiro sujo também chegar à sua Fundação!
Claro que não podemos confundir oportunista com estadista. Diferentes demais são ambas as coisas. Prova disto é o que diz o presidente do PT, Rui Falcão, ao afirmar que “a gente entende que haja corrupção, nós já estamos acostumados... A volta de Lula não é questão de messianismo, nem de salvação nacional, é a continuidade de um projeto político que precisa avançar”.
Acostumados com a corrupção? Continuar saqueando o dinheiro dos nossos impostos? E a péssima qualidade da educação e da saúde? E a derrocada das nossas indústrias? Que projeto é esse que tolhe a inclusão social iniciada no governo de Itamar Franco, que endivida o país e empobrece a população com uma inflação já perto de 9%?  Esse é o projeto da incompetência e a população brasileira, enganada durante tanto tempo, despertou-se em berço esplêndido e já começa a ver tudo isso... O país, nos mesmos moldes da Petrobras, foi saqueado!

Então, que a operação Lava-Jato seja concluída com todo sucesso e que as punições que virão, sirvam como exemplo, para que possamos sonhar com um país melhor, pelo menos para as futuras gerações.  Calar as vozes que vêm das ruas é o que podemos chamar de golpismo.